O Incrível e Barulhento Mundo Sonoro dos Recifes de Corais

Escrito por Evan Quinter, Original Article HERE

Traduzido e Revisado por Gustavo Shintate

Há muitas razões para amar os recifes de corais. Dentre elas, muitas vezes nos apaixonamos pela beleza visual deste oásis subaquático. Preenchidos por corais de todas formas e tamanhos, os recifes oferecem algumas das paisagens naturais mais vibrantes e coloridas que existem e não é difícil entender o motivo pelo qual a indústria do ecoturismo lucra com a beleza cativante dos recifes. Mas enquanto os humanos são atraídos pela paisagem recifal, os organismos marinhos seguem outro sinal sensorial, o som. 

Recifes de corais estão cheios de vida como uma metrópole de milhares de criaturas marinhas, de pequenos camarões a garoupas gigantes. Os peixes são os grandes cantores desta grande banda sinfônica, vocalizando por dois métodos: contraindo e expandindo o músculo sonoro associado à sua bexiga natatória (ressonância) e mudanças bruscas em direção e velocidade enquanto nadam (hidrodinâmica). Além disso, eles podem esfregar duas partes de esqueleto rígido ou dentes para produção de som (estridulação). 

Invertebrados também influenciam no mundo sonoro dos recifes, principalmente por estridulação. As lagostas puxam suas antenas moles uma na outra para produzir sons como de um violino, o que as auxilia em produzir barulho enquanto estão em fase de muda. Caranguejos são os percussionistas: fincam suas patas no sedimento e arranham suas outras patas para enviar vibrações pelo substrato. Uma das criaturas mais barulhentas dos recifes, o camarão-de-estalo (ou camarão-pistola), pinçam suas quelas com tanta velocidade que emite ondas de choque tão explosivas que atordoam suas presas e camuflam submarinos de sonares!

Fig. 1 Tim Gordon, primeiro autor do estudo de 2019, instalando alto-falantes em um recife de coral (Foto de T. Gordon). PHOTO TAKEN WITH AN OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Esta sinfonia aquática mantém funções ecológicas, principalmente o recrutamento larval. Em 2019, pesquisadores da Austrália e do Reino Unido tocaram sons de recifes saudáveis em um sistema coralino degradado e compararam resultados de diversidade com recifes abandonados, silenciosos. A diferença foi clara, já que os recifes enriquecidos acusticamente registraram o dobro da média de abundância biológica e um aumento de 50% em riqueza de espécies. Com o grande volume e diversidade de peixes retornando aos recifes, o resultado do experimento indica o potencial de restauração de recrutamento de peixes juvenis com o enriquecimento acústico. Larvas de coral (plânulas) também nadam seguindo o som de recifes saudáveis, demonstrando a necessidade de sinais acústicos para recrutamento de vários táxons marinhos.

Fig. 2 demonstrando a possibilidade de enriquecimento acústico melhorar efeitos maléficos nos recifes de corais (gráfico retirado de Gordon et al., 2019).

A importância de recifes naturalmente barulhentos é também destacada quando os sons dos recifes são obstruídos. Dado que recifes doentes são silenciosos por falta de atividade, níveis baixos de recrutamento podem abrandar ou impedir a revitalização dos recifes. Além disso, ruídos antropogênicos e poluição dos motores de barcos podem trazer várias problemáticas para os organismos recifais. Plânulas tiveram dificuldades em encontrar habitats adequados quando em grande proximidade de motores de embarcações. O comportamento dos peixes recifais em reação à sinais de predação foram alterados, com tempo de resposta reduzido e até aumentaram o espaço ocupado, em vez de se esconderem. Níveis de cortisol (relacionado ao estresse) e hormonais foram escalonados durante os primeiros dias de exposição à poluição sonora, apesar da aclimatação e tolerância a oceanos mais barulhentos podem resultar em mudanças comportamentais e a nível de comunidade. 

Os recifes de coral são ecossistemas incríveis, ricos e com uma paisagem sonora rica e diversa. As ondas sonoras se propagam pela comunidade dos recifes e são vitais para o recrutamento de organismos marinhos, além de regular interações comportamentais e de predador-presa. Quando discutimos conservação e ativismo, precisamos também lembrar do nosso impacto a nível físico, ecológico e acústico nos ecossistemas recifais. 

Se você quer ouvir como é o som de um recife saudável, ou certas vocalizações de organismos recifais, confira nos links abaixo:

Sounds of the coral reef
What Coral Reef Fish Sound Like
Goliath Grouper “Barking

Imagem em destaque – Crédito a Harry Harding, University of Bristol

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close